florestas

Floresta dos plátanos, choupos, freixos, faias, salgueiros, olmos, oliveiras, castanheiros, carvalhos, sobreiros, azinheiras, pinheiros bravos e mansos....
Um blog para seres da floresta, do deserto, dos grandes mares, das planícies, das montanhas, dos rios, das rias, das cidades... não acessível a tias!

domingo, fevereiro 11, 2007

Desde que alguém extremamente sinistro me desconsiderou abruptamente como profissional, desde que sei que o meu trabalho se estende por cinco dias (está no novo ECD e se calhar no velho também), desde que sei que sou escumalha, desde que sei que qualquer dos meus contributos para esta coisa educativa foi apagado do registo (ando nisto há 21 anos), desde que sei que serei fornicado e mal pago até ao dia em que morrer, de bengala, a leccionar ( não sei exactamente o quê), desde que sei que esta desvalorização se faz para se ter um fundo de maneio maior para a elite dos políticos e compadres, que me pus à procura do Kit de sobrevivência mais próximo. Deixou de me interessar qualquer discussão pedagógica, não me motivo com filosofias da educação, perdi a vontade de achar graça às práticas decentes, não me revejo no vocabulário utilizado (boas práticas e péssimas teóricas), não quero saber de trabalho missionário em que não acredito.
Vai daí, decidi dedicar o meu tempo de fim-de-semana ao fim-de-semana!
E se a semana acaba, na sexta-feira acaba a minha preocupação com a escola, nem um minuto do meu Sábado ou Domingo é dedicado à escola.
Não vejo testes, não corrijo fichas, não preparo aulas, não faço nada que tenha a ver com a escola!
Os alunos esperam e desesperam?
Os utentes do serviço nacional de saúde também!!!
A família agradece, até porque já sabe que filho de professor jamais poderá ter uma educação normal (é que os pais dos filhos dos professores são maus profissionais, diz o ME; resta-lhes serem bons pais)!!!

1 comentário:

IC disse...

"nem um minuto do meu Sábado ou Domingo é dedicado à escola"
Hummm... Mas este post é de domingo... ;)

(Estou a brincar, mas não com o desabafo. Contudo, tenho esperança de ainda poder brincar e rir, daqui a não muito tempo, com os colegas que continuam no ensino, sobre este ECD, sobre esta política educativa... Sinceramente, acho difícil que isto tudo não tenha consequências demasiado visíveis, que obriguem a abrir os olhos)

A maior desgraça que pode acontecer a um artista é começar pela literatura, em vez de começar pela vida.
Miguel Torga

procure outras florestas, outras árvores, não hesite...