florestas

Floresta dos plátanos, choupos, freixos, faias, salgueiros, olmos, oliveiras, castanheiros, carvalhos, sobreiros, azinheiras, pinheiros bravos e mansos....
Um blog para seres da floresta, do deserto, dos grandes mares, das planícies, das montanhas, dos rios, das rias, das cidades... não acessível a tias!

terça-feira, julho 11, 2006

Vincent Van Gogh



Noite Estrelada sobre o Ródano


Tenho Dó das Estrelas

Tenho dó das estrelas
Luzindo há tanto tempo,
Há tanto tempo…
Tenho dó delas.
Não haverá um cansaço
Das coisas,
De todas as coisas
Como das pernas ou de um braço?
Um cansaço de existir,
De ser,
Só de ser,
O ser triste brilhar ou sorrir…
Não haverá, enfim,
Para as coisas que são,
Não morte, mas sim
Uma outra espécie de fim,
Ou uma grande razão –
Qualquer coisa assim
Como um perdão?

Fernando Pessoa

2 comentários:

longedemais disse...

Anda-se ausente e quando se regressa descobre-se um mundo de coisas belas para ler e ver! Está uma maravilha este blog! Só precisamos ter cuidado com o Pessoa... que a depressão dele não nos escureça o sol da vida! Beijo doce

Maria Lisboa disse...

Não só as estrelas, não só Fernando Pessoa, não só tu...

Beijo

A maior desgraça que pode acontecer a um artista é começar pela literatura, em vez de começar pela vida.
Miguel Torga

procure outras florestas, outras árvores, não hesite...