florestas

Floresta dos plátanos, choupos, freixos, faias, salgueiros, olmos, oliveiras, castanheiros, carvalhos, sobreiros, azinheiras, pinheiros bravos e mansos....
Um blog para seres da floresta, do deserto, dos grandes mares, das planícies, das montanhas, dos rios, das rias, das cidades... não acessível a tias!

sábado, novembro 19, 2005

Tropeções, Caracóis e Faróis


W... tropeçou à saída da Sic. Disse pora, é a segunda vez q tropeço, mas era mentira, n porque ele seja um mentiroso, mas porque teve um péssimo professor primário, q nunca lhe ensinou matemática. Era a terceira vez que tropeçava, tropeçara à entrada e tropeçara durante o programa, mas aí a queda fora altita, porque a cadeira do estúdio também o era. Já nessa altura dissera pora, caí, a entrevistadora até lhe perguntara caiu, mas ele só praguejava pora de cadeira, o que n podia ser passado para a opinião pública e ficara apenas os professores passam muito tempo sem se sentar nas cadeiras. Agora voltava a entrar na Sic, depois das complicadas operações matemáticas q tivera de fazer. Perguntou se tinha direito a um telefonema, m não o reconheceram, com os caracóis acaçapados e o casaco castanho mais castanho e disseram-lhe q não. Nessa altura entrou o motorista q disse o carro não tem rodas, fomos gamados, não tem rodas como perguntou W, não tem rodas, fomos gamados, repetia o motorista, nem faróis ou piscas. Pora, disse w... ,outra vez, farto-me de tropeçar, ser gamado, isso só podem ser miúdos da vizinhança que, pora outra vez, não vão à escola porque os professores faltam como o caraças, se não faltassem a gente não tropeçava porque não vinha aqui nem éramos gamados das rodas, dos faróis e dos piscas, pora, acaçapei os caracóis por causa destes gajos...

1 comentário:

f... disse...

Só te digo que o autor da foto conseguiu apanhar o lada mais fotogénico do Wzinho ... até se nota o "acaçapamento" dos caracóis!!!!

Com tais musas não admira que o teu humor cresça de dia para dia!

Bjs

A maior desgraça que pode acontecer a um artista é começar pela literatura, em vez de começar pela vida.
Miguel Torga

procure outras florestas, outras árvores, não hesite...